Samuel Puppo é campeão no Rip Curl Grom Search na praia de Maresias em São Sebastião

Disputa ocorreu no fim de semana com praia cheia e envolveu 16 surfistas de 10 países

Disputa ocorreu no fim de semana com praia cheia e envolveu 16 surfistas de 10 países

O Brasil garantiu mais um importante título internacional no surf com o atleta Samuel Pupo que faturou a final do Rip Curl Grom Search Internacional, apresentada por GoPro no sábado (2), na praia de Maresias, em São Sebastião.

Entre as meninas, Leilani McGonagle, da Costa Rica, garantiu a primeira conquista internacional no surf para o seu país. O Rip Curl Grom Search Internacional é conhecido por revelar grandes nomes,entre eles, o próprio o sebastianense Gabriel Medina, os irmãos Owen e Tyler Wright, as havaianas Tatiana Weston Webb e Malia Jones.

O campeonato reuniu 16 surfistas de 10 países e foi realizada em Maresias, em homenagem a Medina, anfitrião dessa nova geração. O astral do evento ficou  evidenciado pelo sorriso estampado nos rostos dos surfistas, mesmos daqueles que não subiram ao pódio.

Nos dois dias escolhidos (a “janela” de espera foi iniciada na terça-feira), tudo transcorreu de forma perfeita com ondas,  sol e praia cheia. Na sexta-feira (1), o mar estava mais pesado com ondulação de cinco a seis pés (cerca de dois metros) e no sábado (2),  mais alinhado com três a quatro pés (um metro) e excelente formação.

Na final do Masculino, Samuel começou mais comedido do que nas outras baterias, mas na sexta onda, uma esquerda, garantiu uma batida, uma rasgada e trabalhou bem as manobras para tirar um 9,75. Com isso,  praticamente assegurou o novo título para o Brasil. “É o melhor campeonato que eu já fiz. É muita felicidade, ainda mais vencer aqui, onde moro”, disse Samuca, 14, feliz por vencer na praia onde mora.

“Estava muito confortável, tranquilo e ficava feliz ao ouvir a galera gritando a cada onda boa que eu fazia”, afirmou. “Agora quero continuar surfando e me divertir. As coisas vão acontecendo naturalmente”, complementou Samuel depois de sair carregado do mar. “Quero agradecer a Deus, minha família e meus patrocinadores, em especial à Rip Curl, por transformar meu sonho em realidade”, festejou o surfista que já anuncia sua estreia no WQS.

Na final, ele enfrentou o norte-americano Kei Kobayash, de Trestles. Os dois surfistas foram os melhores durante todas as fases. O brasileiro foi o dono de todos os recordes. Garantiu as maiores somatórias – 19,75 e 19,4 – e as maiores ondas – duas notas dez e uma 9,8.

No Feminina, Leilane venceu a australiana Jaleesa Vicent, que por sua vez, superou a americana Caroline Marks, que dividia com a costarriquenha as melhores performances. Apesar de ter a melhor nota da bateria, a surfista da Austrália não conseguiu outra boa pontuação e Leilani que surfou bem todo o campeonato, assegurou o título com 14,40 contra 13,25.

“Vim como wild card e estava confiante, porque treinei muito. Fiquei muito feliz, principalmente porque é um campeonato tradicional”, comemorou a atleta de 15 anos, que mora em treina em Pavones. Fã de Medina, ela tinha um motivo a mais para vibrar. “Foi um privilégio vencer aqui na praia de Gabriel, uma honra levantar a taça na mesma onda que ele aprendeu a surfar”, completou a surfista, que foi carregada pelos surfistas Kehu Butler e Raju Sena.

Gabriel Medina, o anfitrião, ficou feliz em recepcionar os finalistas em “sua casa” e elogiou o nível técnico do evento, relembrando 2010, quando foi campeão internacional, na Austrália, um marco para iniciar a sua trajetória profissional na sequência. “É legal ver essa nova geração, ao vivo, ainda mais aqui em Maresias, onde tudo começou, onde sempre surfei”, destacou.

O diretor do campeonato, Fernando Gonzalez, demonstrou total satisfação com as condições do mar para os dois dias de disputas. “Conseguimos o que estávamos buscando, que era colocar a competição nos dois melhores dias de onda nessa semana que ficamos na espera. E realmente conseguimos, tanto no primeiro dia, com ondas desafiadoras, quanto no sábado com ondas mais divertidas, mas perfeitas”, comentou.

Vale lembrar que antes do campeonato, os finalistas tiveram várias ações, como treinos em praias vizinhas, o desafio “Tamo Junto” Brasil x Mundo, palestra com o pai de Gabriel Medina falando da experiência de preparar um campeão do WCT e até mesmo um jogo de futebol. No dia 27, Gabriel Medina recepcionou todos os finalistas, com um jantar. Para finalizar a programação, já sem pressão de competição, está prevista uma sessão de surf num “secret spot” no Litoral Norte, com ida de barco e companhia de Gabriel Medina.

A Final Internacional do Rip Curl Grom Search em Maresias foi apresentada por GoPro – Be a Hero, com apoios de Posca e Coconut’s Maresias Hotel. Colaboração da Federação Paulista de Surf, Prefeitura de São Sebastião, Corpo de Bombeiros, Associações de Surf de Maresias (ASM) e de São Sebastião (ASSS). Cobertura da Revista Fluir e Site Waves, com divulgação da FMA Notícias e realização da Rip Curl.

Resultados

Masculino

1º Samuel Pupo (BRA)

2º Kei Kobayash (EUA)

3º Lens Arancibia (FRA)

Feminino

1º Leilani McGonagle (CRI)

2º Jaleesa Vicente (AUS)

3º Caroline Marks (EUA)

(CC/RF)

Foto: Munir El Hage | Divulgação/PMSS

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

Protected by WP Anti Spam