Samu de São Sebastião salvou um bebê que estava engasgado pelo telefone em Ubatuba

De acordo com o coordenador do Samu no Litoral Norte, André Luís Silva Leandro, ao chegarem ao local, os médicos tiveram de pular o muro tendo em vista que a mãe, Tainá, nervosa, perdeu a chave do portão. “A equipe precisou invadir a casa pulando o muro e encontrou a criança respirando, mas, com muita dificuldade chegando, inclusive, a ainda estar roxa. Após a intervenção da equipe da USA 3 a criança foi levada ao Pronto Socorro de Ubatuba e passa bem”, comentou Leandro

De acordo com o coordenador do Samu no Litoral Norte, André Luís Silva Leandro, ao chegarem ao local, os médicos tiveram de pular o muro tendo em vista que a mãe, Tainá, nervosa, perdeu a chave do portão. “A equipe precisou invadir a casa pulando o muro e encontrou a criança respirando, mas, com muita dificuldade chegando, inclusive, a ainda estar roxa. Após a intervenção da equipe da USA 3 a criança foi levada ao Pronto Socorro de Ubatuba e passa bem”, comentou Leandro

Por volta das 8h20 desta sexta-feira (28), deu entrada na Central de Regulação de Operações do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), localizada em São Sebastião, a solicitação de socorro a um bebê, chamado Rebeca, de apenas um mês de vida engasgado com leite.

Ao receber a chamada, imediatamente a equipe da Central de Regulação comandada pela médica reguladora Glaucia iniciou as orientações de manobra de desobstrução das vias aéreas de Rebeca. E enquanto este procedimento era executado, uma Unidade Avançada (USA) foi encaminhada para a residência da criança, localizada no centro de Ubatuba.

De acordo com o coordenador do Samu no Litoral Norte, André Luís Silva Leandro, ao chegarem ao local, os médicos tiveram de pular o muro tendo em vista que  a mãe, Tainá, nervosa, perdeu a chave do portão. “A equipe precisou invadir a casa pulando o muro e encontrou a criança respirando, mas, com muita dificuldade chegando, inclusive, a  ainda estar roxa. Após a intervenção da equipe da USA 3 a criança foi levada ao Pronto Socorro de Ubatuba  e passa bem”, comentou Leandro.

Ainda de acordo com o coordenador, a operação obteve êxito justamente pela agilidade do atendimento e pela forma como a mãe da criança foi orientada pela médica da central da regulação. “Desde 2002 existe no país uma resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM) que define e disciplina a prestação de serviço por meio da chamada telemedicina. E é justamente isso que nós praticamos todos os dias no Samu, tendo em vista que o socorro começa com a chamada feita para o telefone 192”, explicou.

Leandro lembra que a ligação é atendida por médicos que identificam a emergência e fazem o diagnóstico da situação iniciando o atendimento no mesmo instante orientando o paciente, ou a pessoa que fez a chamada sobre as principais ações. “Somente após a etapa de verificação da situação do paciente é que o médico pode orientar a pessoa a procurar um posto de saúde ou enviar ao local uma ambulância, e foi justamente o que aconteceu neste caso específico”.

Desde 2010 o Litoral Norte conta com o Samu, sendo a cidade de São Sebastião a sede regional do serviço em todo litoral. Com isso, fica na cidade a Central de Regulação, responsável pelo atendimento, regulação e despacho de todas as ocorrências das quatro cidades da região. A estrutura conta com ambulâncias de suporte básico e suporte avançado (UTI).  “Este trabalho da Central de Regulação com médico é graças à Administração Municipal de São Sebastião que assume sozinha os custos desta Central 24 horas para que o Samu possa ser operacionalizado em todo o Litoral Norte”, ressaltou Lenadro.

(JC/RF)

Foto: Divulgação/Central de Regulação de Operações do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) São Sebastião

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

Protected by WP Anti Spam