Praia de Maresias é classificada como imprópria pela Cetesb e moradores culpam a Sabesp pela falta de saneamento na praia que é a “Capital Mundial do Surf” em São Sebastião

Presente no plenário, foi cedida a palavra para a moradora de Maresias e representante da Somar – Sociedade Amigos do Bairro-, Dirceia Arruda, que afirmou que a falta de esgoto tem destruído o rio Maresias, causando constante mau cheiro e ameaçado a saúde de moradores e turistas.Foto//Divulgação/Somar/28/06/2016

Praia de Maresias na Costa Sul de São Sebastião, onde mora e nasceu o Campeão Mundial de Surf” Medina foi classificada no relatório de balneabilidade, divulgado hoje (22) pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), como impropria para banho.
“Em 2016 os moradores e vereadores fizeram duras criticas a Sabesp a respeito da falta de saneamento basico, inclusive o atual presidente da Camara de São Sebastião, o vereador Reinaldo Moreira. Veja a baixo a materia que foi publicana na epoca pela Folha do Litoral Norte”:
Falta de saneamento em Maresias provoca novas críticas de vereadores de São Sebastião à Sabesp
A falta de implantação do saneamento básico em Maresias, costa sul de São Sebastião, provocou debate e revolta dos vereadores contra a Sabesp, na última sessão da Câmara, realizada na terça-feira, 28. Em requerimento apresentado e aprovado na sessão, o vereador Reinaldo Moreira, o Reinaldinho (PSDB), questionava a prefeitura sobre a atual situação das negociações com a estatal, que, por determinação do governo do estado, cancelou as obras de saneamento prometidas para 2015 na praia, alegando que, com a crise hídrica, as prioridades de investimentos tiveram de ser alteradas. “Participei de várias reuniões organizadas pela sociedade no bairro, inclusive com a presença de representantes da prefeitura e da Sabesp, mas não sabemos como andaram as negociações, se a situação está mais próxima de ser resolvida”, afirmou o autor do requerimento.
Segundo exposto, o contrato de concessão no município está vencido, e a administração recusa-se a assiná-lo antes de a estatal terminar as obras de saneamento previamente prometidas, e esta, por sua vez, alega que só dará reinício às ações quando tiver novamente o contrato atualizado. “Chegamos em um momento em que tudo que foi criado na nossa Região Metropolitana, foi criado de forma que não tem como escapar de ter contrato de concessão com a Sabesp. Se não tem contrato vigente, eles não vão investir no município”, afirmou Reinaldinho.
Presente no plenário, foi cedida a palavra para a moradora de Maresias e representante da Somar – Sociedade Amigos do Bairro-, Dirceia Arruda, que afirmou que a falta de esgoto tem destruído o rio Maresias, causando constante mau cheiro e ameaçado a saúde de moradores e turistas. “Em encontro em 15 de abril, o prefeito reiterou a necessidade de o estado fazer as obras já acertadas e faltantes, em Cambury, Maresias e Boraceia. Pelo menos um cronograma de obras era condição condicionante para a nova assinatura do contrato. Já pedimos ajuda a deputados estaduais, federais, fomos na Sabesp, Cetesb, e nada… precisamos de um comprometimento da Sabesp e do contrato assinado pela prefeitura. Os senhores são nossa última chance”, desabafou a moradora.
O vereador Ercilio de Souza (SDD), cuja base eleitoral está na costa sul, não mediu palavras: “A Sabesp está sacaneando o povo de maresias, afetando o turismo. O governador cancelou pela crise da água, mas agora não tem mais desculpa”. Gleivison Gaspar (PMDB) alegou que a grande responsabilidade da questão é do estado e da Sabesp e defendeu uma postura mais rígida sobre o assunto: “Inacreditável que ainda estejamos pedindo saneamento para a praia mais famosa da cidade. Essa responsabilidade é do governo do estado, que suspendeu os serviços prometidos há décadas. A Sabesp é incompetente e o município vai ter que chamar para si a responsabilidade que o governo não tem cumprido”, afirmou.
Para o vereador Onofre Neto (DEM), a razão do descaso seria a baixa lucratividade que a região gera para a estatal. “A costa sul tem montanhas que dificultam o deslocamento dos resíduos, exigindo uma estação de tratamento por praia. A Sabesp é uma empresa com ações na Bolsa de Valores, visa o lucro, e investir aqui dá prejuízo. Eles perderam o foco de tratar as cidades, só querem saber de rentabilidade”, acusou.
Indignado, o vereador Edivaldo Pereira Campos, o Teimoso (PSB), acusou o governador Geraldo Alckmin de abandono do eleitorado. “O PSDB teve 60% dos votos para governador, mas em uma questão importante como essa nos abandona. Falar da Sabesp me causa arrepios, é inacreditável que Maresias não tenha esgoto, uma vergonha”, concluiu.

 

Foto: Divulgação/Somar/Arquivo da Folha do Litoral Norte/18/06/2016

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

Protected by WP Anti Spam