Pâmella Mel a mais jovem surfista feminina de São Sebastião entra para o RankBrasil pelo recorde de 69 vitorias no surfe

Mais jovem surfista feminina do país, Pâmella Mel treina praticamente todos os dias e seu sonho é ser campeã mundial de surfe

Mais jovem surfista feminina do país, Pâmella Mel treina praticamente todos os dias e seu sonho é ser campeã mundial de surfe

A recordista brasileira Pâmella Mel participou da sua primeira competição de surfe aos seis anos e cinco meses de idade, e já subiu ao pódio 69 vezes
Pâmella Regina Regatieri Silva, que é conhecida como Pâmella Mel entra para o RankBrasil em 2016 pelo recorde de Mais jovem surfista feminina. A paulistana participou de seu primeiro campeonato de surfe em abril de 2012, quando tinha seis anos e cinco meses de idade.
Atualmente com 10 anos e residindo na cidade de São Sebastião, no litoral de São Paulo, já participou de 61 campeonatos, subindo ao pódio 69 vezes (por disputar mais de uma categoria em cada competição). “O surfe é minha vida, amo demais. Um dia vou ser campeã mundial se Deus quiser”, destaca a recordista.
De acordo com ela, surfar é muito bom pelo contato com a natureza. “E também porque adoro fazer as manobras e aprender mais cada dia que entro no mar”. A paulistana tem como ídolos vários surfistas brasileiros entre Gabriel Medina, Miguel Pupo, Adriano de Souza (Mineirinho), Filipe Toledo, Wiggolly Dantas, Jacqueline Silva, Silvana Lima, mas a menina se inspira muito na norte-americana Bethany Hamilton. “Adoro assistir o filme dela”.

Em relação ao recorde brasileiro, Pâmella comenta que é algo muito legal e se sente muito feliz. Para concretizar o sonho de obter um campeonato mundial, busca um patrocinador para primeiramente ser possível surfar fora do país.
Segundo a mãe da surfista, Regina Regatieri, o título junto ao RankBrasil é uma grande conquista para toda a família. “É um merecimento pela dedicação da minha filha ao esporte que ama e a nós pais é uma imensa emoção. “Sempre acreditamos nela e isto não foi em vão: o resultado está aí”, diz.

Primeira onda e principais títulos
A recordista começou a surfar aos seis anos, quando se mudou para Itanhaem, no litoral paulista. Os pais estavam procurando um esporte que a garota gostasse para praticar e caminhando pela praia viram uma escola de surfe. Questionada se queria fazer estas aulas, pulou de alegria.

“Para nossa surpresa e a do professor Vacão, Pâmella ficou em pé na sua primeira onda e não parou mais de surfar”, revela Regina. Entre os títulos mais importantes obtidos pela surfista estão os de 2015, onde foi campeã da cidade de São Sebastião em duas categorias, campeã do Circuito ASM Medina na categoria feminino estreante, e terceira melhor sub12 no circuito Brasileiro Feminino.

Esporte saudável
Desde o início Pâmella sempre teve o total apoio e incentivo da família para a prática do esporte seja treinando, fazendo manobras livres ou durante as competições. “Estamos sempre juntos”, comenta a mãe.

Regina esclarece que apesar de surfar praticamente todos os dias, a menina tem atividades normais para a idade dela e sabe que o estudo está acima de qualquer coisa. “Ela é ótima aluna e as fases de sua vida não estão sendo trocadas: somente incluso mais aprendizado de algo saudável”, destaca. “Além de surfar gosto de ler, andar de skate e brincar com meu irmãozinho e minhas amigas”, acrescenta Pâmella.

Para a mãe da recordista, hoje o mais importante é oferecer a uma criança um bom livro, estudo, educação e atividades esportivas. “A tecnologia está tomando conta do mundo e se deixarmos, nossos filhos conhecerão somente jogos de videogame e outros eletrônicos. Eles não saberão mais o que é um esporte”, finaliza.

Foto: Divulgação/Regina Regatieri

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

Protected by WP Anti Spam