Navio petroleiro “Recife Knutsen” encalhado é retirado do banco de areia no Porto de São Sebastião

O petroleiro, a serviço da Transpetro, encalhou na noite de segunda-feira (15), em um banco de areia no Canal quando estava prestes a atracar no Porto de São Sebastião

O petroleiro, a serviço da Transpetro, encalhou na noite de segunda-feira (15), em um banco de areia no Canal quando estava prestes a atracar no Porto de São Sebastião

O navio petroleiro que estava encalhado em São Sebastião foi retirado do banco de areia nesta quinta-feira (18). A embarcação estava encalhada no mar desde a última segunda-feira (15) após uma manobra mal sucedida.
Segundo a Capitania dos Portos, um outro navio atracou ao lado do navio encalhado para receber parte da carga de óleo transportada pelo petroleiro. Sem a carga, o navio ficou mais leve e pode ser retirado do local. A embarcação foi para o porto de São Sebastião (SP).
A Prefeitura de São Sebastião acompanhou de perto nesta quinta-feira (18), o trabalho de transbordo da carga do petroleiro “Recife Knutsen” de Nassau para o navio “Anita Garibaldi”. A embarcação dinamarquesa de cinco anos de idade, ficou encalhada por quase quatro dias no Canal de São Sebastião e o maior receio era o vazamento de sua carga.
Ao ser informado sobre o acidente, o secretário de Meio Ambiente Eduardo Hipólito do Rego, e o engenheiro Evandro Sebastiani, a bordo do “Ponta Negra”, embarcação da própria secretaria, presenciaram o transbordo do petróleo bruto durante todo o tempo. “A operação transcorreu normalmente e não houve vazamento ao mar”, disse Hipólito.
De acordo com ele, a Prefeitura protestará, via Secretaria de Meio Ambiente, sobre como a Administração ficou a par do episódio, 24 horas após o acidente. O protesto será enviado aos órgãos competentes, ou seja, Capitania da Delegacia dos Portos, Porto de São Sebastião e principalmente à Transpetro, com cópia para o Ministério Público Federal.
“Não fomos acionados por nenhum órgão em questão; ficamos cientes mediante informações de terceiros e denúncias que nos chegaram via cidadãos. Saímos então em busca de informações, pois não sabíamos de nada, quando o certo seria termos sido acionados prontamente por eles”, declarou o secretário.
O trabalho foi acompanhado, também, pela Delegacia da Capitania dos Portos – Marinha do Brasil.
O acidente
O petroleiro, a serviço da Transpetro, encalhou na noite de segunda-feira (15), em um banco de areia no Canal quando estava prestes a atracar no Porto de São Sebastião.
A causa do acidente seriam as chuvas e ventos fortes, além da baixa visibilidade, que teria prejudicado manobra da embarcação no início daquela noite.
Após tentativas frustradas de remoção, foi considerado o transbordo de parte da carga do navio, para viabilizar a retirada do navio.
Foto: Divulgação/Semam | PMSS

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

Protected by WP Anti Spam