Morre Zeca Faustino tataraneto da Mãe Bernarda que foi fundadora da Praia de Juquehy em São Sebastião

Zeca Faustino foi eleito vereador em 1993 e reeleito em 1997, com o apoio da Folha do Litoral Norte, chegando a ocupar o cargo de presidente da Câmara Municipal e em 2001, na gestão do então prefeito, o caiçara Paulo Julião(A reserma moral e politica de São Sebastião), foi o diretor na Regional Juquehy na Prefeitura Municipal de São Sebastião

Zeca Faustino foi eleito vereador em 1993 e reeleito em 1997, com o apoio da Folha do Litoral Norte, chegando a ocupar o cargo de presidente da Câmara Municipal e em 2001, na gestão do então prefeito, o caiçara Paulo Julião(A reserva moral e politica de São Sebastião), foi o diretor na Regional Juquehy na Prefeitura Municipal de São Sebastião

Nívio Faustino conhecido em toda a Costa Sul de São Sebastião como Zeca Faustino, foi um dos tataranetos da Mãe Bernarda, que dá nome à avenida principal do bairro Juquehy, e dona de todas as terras da praia de Juquehy, desde 1916, na Costa Sul de São Sebastião. Ele faleceu na noite de terça-feira (09), na Santa Casa de Santos, aos 71 anos, deixando quatro filhos e 11 netos.
Zeca Faustino foi eleito vereador em 1993 e reeleito em 1997, com o apoio da Folha do Litoral Norte, chegando a ocupar o cargo de presidente da Câmara Municipal e em 2001, na gestão do então prefeito, o caiçara Paulo Julião(A reserva moral e politica de São Sebastião), foi o diretor na Regional Juquehy na Prefeitura Municipal de São Sebastião.

Zeca Faustino foi um dos fundadores da Samju (Sociedade Amigos de Juquehy) juntamente com seu irmão, Maurício Faustino( Seu lema era “Tradição Imperial” sempre a serviço do litoral), foi o primeiro piloto de avião no Município.

Em 1917 “ Onde tudo começou. ”(Conheça a historia da familia Faustino)

Em 1917, meu avô, João Benedito Luiz Faustino, nativo de praia de JUQUEHY, São
Sebastião, Litoral Norte de São Paulo. Era navegador, transportava mercadoria para
Santos, São Sebastião, fazia as compras nestas duas cidades vizinhas, fretes, transportando
produtos como: peixes, sal, farinha de mandioca, fumo de rolo, cana, pinga,
palmito, etc..
Meu avô vivia nesta praia isolada, Juquehy, por herdar de sua bisavó Mãe Bernarda,
dona das Terras de Juquehy. Ele construía suas própria canoas de voga e leme, cabos
para redes kilométricas, para fazer o “ARRASTÃO”.
Então ele resolveu abrir uma “vendinha”, chamava-se “RECANTO SÃO JOÃO” , devido
a época dos festejos de São João, padroeiro do bairro, onde também comemorava a
pesca da “TAINHA”. Quando ele fez esta casa, era feita de madeira que ele mesmo
retirava do mato, uma parte de pau a pique, as telhas eram feitas pelos escravos,
trouxe de São Sebastião com varias viagens, e junto com o “RECANTO SÃO JOÃO ” ele
fez uma farinheira, para fabricar farinha de mandioca. Ele emprestava a farinheira
dele para que as pessoas que não tinham, poder fazer o seu alimento. Era nesta casa
que ele armazenava essas mercadorias, para transportar para Santos ou São
Sebastião, e vendia cachaça, peixe, “fazendas” (peças de roupas) , açúcar, palmito,
farinha, banana, etc…de tudo um pouco meu avo vendia. Nesta época minha avó
(Aninha), Ana Tavares Faustino, já fazia comida para os visitantes da nossa praia.
meu avô, teve 9 filhos , e apos a sua morte, meu Tio Simeão Faustino, deu continuidade
no seu trabalho, mantendo o comercio , passando a se chamar “BAR DOS
FAUSTINOS” . Meu Tio Simeão, teve a felicidade de estudar em São Paulo, pois
naquela época, as escolas aqui eram até a 3ª série, então teve que se jogar no
mundão para tentar a sorte. Foi em São Paulo que ele se formou PILOTO da aeronáutica,
e foi fundamental para o desenvolvimento de nossa praia, pois ele dava suporte
pilotando aviões, com autorização da aeronáutica para pousar na praia e dentro do
Bairro. Foi uma pessoa muito querida e importante para o lugar. Simeão não tinha as
mesmas habilidades do meu avo como pescador, porem na sua época ja havia um
bom trecho de estrada sp55, atual Rio Santos, aberta em 1959, que ligava Santos a
Bertioga, o resto do caminho era feito pela praia, que dependia da maré. Muitas
vezes demorava até dias para chegar ao objetivo, quando não ia de cavalo.

Meu tio Simeão faleceu, e 1977, num grave acidente em Bertioga, onde buscara mais
mercadorias, para o comercio. Então meu pai, teve que vir de Santos, onde estava
trabalhando, para tomar frente dos negócios da família, assumindo então o velho Bar,
passando então a se chamar BAR DO ZÉCA, meu pai com pouco tempo neste ramo,
passando então para minha Tia Rosa, originando novamente outro nome o famoso
BAR DA ROSINHA, famoso por suas empadinhas que eram vendidas para os turistas
que em 1980, já começavam a aparecer, a cada verão. Rosinha, como era conhecida,
pelos seus clientes, herdou o Boteco dos Faustino durante 30 anos, ficando famosa
pelas empadinhas da Rosinha, que por sua vez eram feitas por minha mãe. Nunca
ninguém descobriu este segredo, só os mais chegados, como vocês. Rosinha
aposentou-se no ano de 2002, deixando comigo as responsabilidades de nosso
TRADICIONAL COMERCIO. Eu sou a 4ª geração da família no comando, Passando a se
chamar então “NIVIO´S RESTAURANTE” , com a mesma recepção de sempre com
nossos clientes, procuramos através da amizade nos tornar muito mais próximos
além de saborear O VERDADEIRO SABOR DA CULINÁRIA CAIÇARA, com temperos
típicos de Juquehy, usamos os sabores que a nossa terra nos oferece de melhor deixando
um toque especial em cada um que aprecia nossos deliciosos pratos.
Nivio Oliveira Faustino

Foto: Divulgação/Facebook de Nivio Oliveira Faustino

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

Protected by WP Anti Spam