Medina vai encarar o também paulista Adriano de Souza nas quartas em Bells Beach e o líder do ranking mundial Filipe Toledo

Além de Mineirinho e Medina, o outro brasileiro que estará nas quartas é o líder do ranking mundial, Filipe Toledo, que vem tendo um início fantástico de temporada

Além de Mineirinho e Medina, o outro brasileiro que estará nas quartas é o líder do ranking mundial, Filipe Toledo, que vem tendo um início fantástico de temporada

O duelo mais esperado por todos os fãs do surfe não decidiu o título de Bells Beach. Mas o embate entre Gabriel Medina e Kelly Slater pelo round 5 da segunda etapa desta temporada do Circuito Mundial serviu para o jovem astro brasileiro, atual campeão mundial, demonstrar que a péssima campanha na abertura desta temporada ficou para trás e que nem mesmo o 11 vezes campeão mundial vai impedir o brasileiro de sonhar com um bicampeonato do mundo em 2015. Com uma vitória por 13,00 a 12,53 na noite desta segunda-feira (manhã de terça na Austrália), Medina eliminou Slater e avançou às quartas de final, quando vai enfrentar o também paulista Adriano de Souza, o Mineirinho.
– Estou amarradão de estar nas quartas. É um evento duro e foi uma bateria bem apertada. Está difícil surfar com esse vento. Eu me sinto muito bem agora, pois eu sabia que seria difícil. Quero agradecer a Deus – comemorou Gabriel.
Por conta das condições ruins do mar, do vento e da chuva em Bells Beach, a organização da Liga Mundial de Surfe (WSL) decidiu encerrar a disputa nesta segunda-feira após o fim do round 5. A primeira chamada para uma tentativa de realização das quartas de final vai acontecer nesta terça-feira, às 18h (de Brasília).
Slater não vem se dando bem contra brasileiros em rounds eliminatórios. Ele já vinha de duas derrotas consecutivas. Na última etapa de 2014, quando Medina foi consagrado campeão mundial, o astro foi eliminado por Alejo Muniz. Já na abertura deste ano, na Gold Coast (AUS), o algoz da fera foi o calouro na elite Ítalo Ferreira.
Além de Mineirinho e Medina, o outro brasileiro que estará nas quartas é o líder do ranking mundial, Filipe Toledo, que vem tendo um início fantástico de temporada. O jovem de 19 anos vai encarar o americano Nat Young, que eliminou o francês Jeremy Flores na bateria 4 do round 5. Um quarto atleta do Brasil teve chance de ir às quartas. Jadson André chegou perto de uma vaga entre os oito melhores em Bells, mas acabou sendo derrotado, de virada, pelo tricampeão mundial Mick Fanning na bateria 3 do round 5 por 12,27 a 11,60. O potiguar se despediu com a nona colocação.
Kelly abriu a bateria já surfando uma onda. Com muita pressão e invertendo a direção da prancha, o gringo só conseguiu fazer uma manobra e levou nota 2,83. Logo na sequência, Medina respondeu com uma direita bem dropada. O brasileiro aplicou duas boas batidas e concluiu no meio da parede da onda, merecendo uma nota 5,83 dos árbitros. Mas Kelly não se intimidou e logo tirou da cartola uma onda nota 6,5, passando a ver por 9,33 a 5,83 quando faltavam pouco mais de 22 minutos para o fim da bateria.
Quatro minutos depois, Gabriel conseguiu a virada com uma onda que não lhe deu a oportunidade de fazer grandes manobras e recebeu nota 4,83. Com 10,66 a 9,33 no placar e o mito precisando apenas de um 4,16 para retomar a dianteira, o paulista sabia que ainda precisava trocar as suas melhores ondas, pois do outro lado estava a fera Slater. E o maior nome do surfe respondeu rapidamente: ele tirou um 6,03, voltou a ficar à frente de Medina (12,53 a 10,66) e deixou Gabriel precisando de um 6,70.
Quando o cronômetro apontava 13 minutos para o fim da bateria, Gabriel decidiu pegar uma onda que Kelly chegou a surfar, mas teve de sair porque a prioridade na escolha das ondas era do atual campeão do mundo. A tática do brasileiro foi bem pensada, mas gerou apenas uma nota 2,70, quatro pontos abaixo do que ele precisava para trocar a sua segunda pior nota até então (4,83).
Kelly iniciou os dez minutos finais com a prioridade na escolha da onda e liderando a disputa. Mas o veterano acabou caindo em uma armadilha do jovem astro. Medina ameaçou ir em uma onda que parecia boa – mas não era -, e Slater acabou dropando. A onda fechou e a prioridade passou a ser de Medina.
Faltando cinco minutos, Gabriel pegou uma onda bastante espumada, mas conseguiu aplicar boas manobras. Ficou na mão dos juízes. Ele precisava de um 6,70 e ganhou um 7,17 para passar a liderar por 13,00 a 12,53. Kelly ficou precisando de um 6,51 para virar. Ele ainda conseguiu dropar uma onda no fim, mas recebeu apenas 5,93, nota dada quando os dois rivais já estavam juntos esperando na areia. Que vitória importante! Gabriel bateu o mito!
BATERIAS DO ROUND 5
1. Kelly Slater (EUA) 12,53 x 13,00 Gabriel Medina (BRA)
2. Joel Parkinson (AUS) 10,17 x 10,40 Josh Kerr (AUS)
3. Mick Fanning (AUS) 12,27 x 11,60 Jadson André (BRA)
4. Jeremy Flores (FRA) 5,93 x 14,66 Nat Young (EUA)
BATERIAS DAS QUARTAS DE FINAL
1. Adriano de Souza (BRA) x Gabriel Medina (BRA)
2. Owen Wright (AUS) x Josh Kerr (AUS)
3. Jordy Smith (AFS) x Mick Fanning (AUS)
4. Filipe Toledo (BRA) x Nat Young (EUA)
Foto: Divulgação/ /WSL

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

Protected by WP Anti Spam