Marginais destroem e ateiam fogo hoje (20) em Creche Municipal no centro de São Sebastião

O Corpo de Bombeiros decidiu interditar o local, devido ao risco de queda do telhado, e providenciou o desligamento dos sistemas elétrico e de gás

O Corpo de Bombeiros decidiu interditar o local, devido ao risco de queda do telhado, e providenciou o desligamento dos sistemas elétrico e de gás

No início da noite de sábado (20), a creche municipal Adriana Vasques Fernandes, localizada na Rua Antônio Pereira da Silva, 140, no bairro Topolândia, região central de São Sebastião, foi vítima de ato de vandalismo, que impedirá a realização das aulas nesta segunda-feira (22).
Por volta das 20h, guardas civis e soldados do Corpo de Bombeiros foram acionados para atender a ocorrência de incêndio na creche. No local, perceberam que além do incêndio na porta do depósito de armazenamento dos produtos da merenda escolar, haviam frutas e legumes danificados. Sobre centenas de maçãs, mamão, melão, melancias e outros alimentos, foram jogados detergentes e água utilizada pela lavanderia.
As frutas e legumes danificados pelos vândalos seriam usados no preparo da merenda do início da semana. Fogões, panelas e geladeiras também ficaram avariados. Papéis e detergentes também foram esparramados pelo chão e paredes, que ainda tiveram parte manchada com fezes humana.
O Corpo de Bombeiros decidiu interditar o local, devido ao risco de queda do telhado, e providenciou o desligamento dos sistemas elétrico e de gás. Após visitar o local, ainda durante à noite, a secretária de Educação, Angela Couto, fez um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia, que nesta segunda-feira (22) enviará perícia técnica ao local para avaliar as condições de interdição e comprometimento da estrutura.
A secretária de Educação explicou que já definiu alternativas para a adequação imediata e retorno do atendimento às crianças. De acordo com ela, a proposta é isolar a parte incendiada pelos vândalos e adequar o local de manipulação e armazenamento dos alimentos para outra área comum. “Durante o período em que estivermos fazendo as adequações emergenciais necessárias, faremos a manipulação dos alimentos na cozinha do CIP (Centro Integrado Profissionalizando), que fica no prédio ao lado”, explicou
A secretária confirmou que a creche, que atende 200 crianças em período integral, terá que ficar sem aula na segunda-feira para aguardar a perícia, o fim da interdição do prédio, o retorno da energia elétrica e do gás para processar os alimentos servidos em 5 refeições diárias, mas informou, hoje (21), que “todos os esforços serão feitos para o retorno da rotina a partir da terça-feira (23)”.

Foto: Divulgação/PMSS

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

Protected by WP Anti Spam