Ernane Primazzi e o presidente do Tribunal de Justiça José Renato Nalin anunciaram hoje (23) a criação do Anexo de Violência Doméstica contra a mulher em São Sebastião

“No anexo teremos técnicos, advogado, assistente social e psicólogo para dar suporte para que as mulheres vítimas de violência possam ter a coragem de denunciar o agressor”, explicou Geisa

“No anexo teremos técnicos, advogado, assistente social e psicólogo para dar suporte para que as mulheres vítimas de violência possam ter a coragem de denunciar o agressor”, explicou Geisa

A Prefeitura de São Sebastião estuda a implantação do chamado Anexo de Violência Doméstica Familiar contra a mulher. O anúncio da decisão de implantação do setor foi feito durante uma reunião entre o prefeito, Ernane Primazzi, e o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador José Renato Nalini, realizada nesta quinta-feira (23), na sede do TJ na capital.

Também participaram do encontro o juiz assessor da presidência, Afonso de Barros Faro, e a integrante da coordenadoria municipal da mulher de São Sebastião, Geisa Elisa Fenerich.

O setor – que dispõe sobre a criação de um anexo vinculado a uma vara criminal – será um local destinado ao recebimento de mulheres vítimas de violência doméstica.

De acordo com o prefeito a Administração Municipal estuda, junto com o Poder Judiciário, a melhor localização para a instalação do órgão. “Com a implantação deste setor a cidade passará a contar com um órgão específico para atender e agilizar os processos e melhorar a segurança das mulheres vítimas de violência”.

Para Primazzi é fundamental que o município apoie sempre todas as ações contra a violência doméstica. “É extremamente importante participar de campanhas como esta, assim como as ações que auxiliam na proteção das mulheres que se encontram nestas situações de violência”, argumentou.

Durante a reunião também verificou-se a possibilidade de ser feita a assinatura do acordo da campanha “Compromisso e Atitude”, que também conta com o apoio da Administração Municipal, na tentativa de unir e fortalecer os esforços nos âmbitos municipal, estadual e federal para dar agilidade aos julgamentos dos casos de violência contra as mulheres e garantir a correta aplicação da Lei Maria da Penha.

“No anexo teremos técnicos, advogado, assistente social e psicólogo para dar suporte para que as mulheres vítimas de violência possam ter a coragem de denunciar o agressor”, explicou Geisa.

(JC|WS) 

 

Foto: Halsey Madeira PMSS

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

Protected by WP Anti Spam